Breve Histórico


BREVE HISTÓRICO

 

A história do Mestrado em Educação Matemática tem sua origem com o curso de Licenciatura em Matemática, da Fundação Universidade Federal de Rondônia – UNIR, Campus de Ji-Paraná, sendo este o primeiro curso fora da sede na capital Porto Velho, criado em 1988, por meio do processo de interiorização da UNIR.

Em 2018, o curso celebrou 30 anos e, em sua trajetória, delineada por momentos que marcam a sua constituição, a oferta de Especialização em Educação Matemática, a realização anual da Semana de Matemática desde 2001, e a qualificação doutoral dos seus docentes na área de Ensino de Ciências e Matemática, especialmente por meio dos programas Rede Amazônica de Educação em Ciências e Matemática (REAMEC) e Doutorado Interinstitucional (DINTER) UNIR-UNESP/Rio Claro, tornaram-se significativos para que a Licenciatura em Matemática, do Campus da UNIR em Ji-Paraná, se consolidasse com um perfil formativo de educadores matemáticos, contribuindo com a formação de professores de Matemática atuantes em todo o estado de Rondônia.

Neste movimento de consolidação e contribuição para com a formação profissional destinada a professores da Educação Básica e do Ensino Superior, licenciados e pedagogos com habilitação para o ensino de Matemática, em nível de pós-graduação stricto sensu para atuar na pesquisa e na docência, em específico, no ensino-aprendizagem de conhecimentos matemáticos no contexto regional, em 2016, o Departamento Acadêmico de Matemática e Estatística – DAME, responsável pelo referido curso de Licenciatura em Matemática, iniciou as discussões sobre a proposição de um mestrado.

Deste modo, após deliberações do DAME, amparado na previsão de oferta de um curso de mestrado por este Departamento no Plano de Desenvolvimento Institucional (PDI) da UNIR (2014-2018), em junho de 2016, foi nomeada pela Direção do Campus de Ji-Paraná uma comissão composta de três docentes doutores do curso de Licenciatura em Matemática (http://www.servidor.unir.br/uploads/boletim/1100_bs_80_de_14_de_junho_de_2016.pdf, p. 5), tendo por objetivo escrever e apresentar uma proposta de mestrado para apreciação e avaliação junto à CAPES.

Em outubro de 2017, demandados estudos e trabalhos intensos desta comissão, finalmente foi submetido ao APCN da CAPES uma proposta de criação do curso de Mestrado em Educação Matemática, em nível acadêmico.

No fim de setembro de 2018, a CAPES emitiu parecer de APROVAÇÃO, na área de Ensino, para este Mestrado Acadêmico (http://www.ppgem.unir.br/pagina/exibir/9356), que entrou para a história como o primeiro na área de concentração em Educação Matemática na região Norte do Brasil, com duas linhas de pesquisas: “Formação de Professores que Ensinam Matemática” e “Processo de Ensino-Aprendizagem da Matemática”, tendo na sua composição treze professores de quatro diferentes Campi da UNIR (Ji-Paraná, Porto Velho, Rolim de Moura e Vilhena).

Em abril de 2019, o curso de Mestrado Acadêmico em Educação Matemática foi institucionalizado na UNIR, com sua criação regulamentada pelo Conselho Superior Acadêmico por meio da Resolução 022/2019/CONSEA/UNIR, que também aprovou o Regimento deste curso na Resolução 025/2019/CONSEA/UNIR (http://www.ppgem.unir.br/pagina/exibir/9356), constituindo-se o Programa de Pós-Graduação em Educação Matemática – PPGEM.

No período de maio a julho de 2019 realizou-se o primeiro processo seletivo com doze vagas para ingresso no curso de Mestrado em Educação Matemática (http://www.ppgem.unir.br/noticia/exibir/6700), totalizando 100 candidatos inscritos de todas as regiões de Rondônia, e também do Amazonas, dos quais, restaram doze candidatos aprovados, em sua maioria, professores atuantes no ensino de Matemática na Educação Básica das redes pública e privada no estado de Rondônia (http://www.ppgem.unir.br/noticia/exibir/7605).

No segundo semestre de 2019, não só teve o início da primeira turma de mestrandos, denominada de Turma 2019, com a aula inaugural realizada em 26 de agosto (http://www.ppgem.unir.br/noticia/exibir/8223), mas também aconteceu o segundo processo seletivo para ingresso no curso de Mestrado em Educação Matemática (http://www.ppgem.unir.br/noticia/exibir/8625). Novamente com doze vagas, este ocorreu no período de outubro a dezembro, e ao final, com 77 inscritos, doze candidatos foram selecionados (Turma 2020), com destaque para a metade dos aprovados com formação em Pedagogia (http://www.ppgem.unir.br/noticia/exibir/9738).

Desde então, cabe destacar a realização da aula inaugural da Turma 2020, em 11 de março de 2020 (http://www.ppgem.unir.br/noticia/exibir/10380), a abertura de matrículas para alunos especiais do Mestrado (http://www.ppgem.unir.br/noticia/exibir/10354 e http://www.ppgem.unir.br/noticia/exibir/8528), a oferta de curso de formação continuada para professores da Educação Básica (http://www.ppgem.unir.br/noticia/exibir/10113), o processo de credenciamento de docente (http://www.ppgem.unir.br/noticia/exibir/10247), além do desenvolvimento de atividades acadêmicas e curriculares regulares do PPGEM.

Todas essas ações, visando o comprometimento com os propósitos assumidos quando da submissão de sua proposta de mestrado no APCN da CAPES, sintetizada na oportunidade de formar mestres, atuantes nos diferentes níveis e modalidades de ensino, em consonância com as necessidades e interesses advindos da posição geográfica e da esfera sociopolítica da região Norte do país, especialmente do estado de Rondônia, aptos a produzir conhecimentos sobre o ensino e a aprendizagem de Matemática a partir das realidades regionais no diálogo permanente com os contextos nacional e internacional, de modo a contribuir para o desenvolvimento dessa região, especialmente com vistas à formação docente, à pesquisa acadêmico-científica e à melhoria da Educação Básica no âmbito da Educação Matemática.

O que significa uma tentativa do Mestrado Acadêmico em Educação Matemática da UNIR, Campus de Ji-Paraná, em:

  1. ampliar as fronteiras de atendimento à formação e qualificação de professores em nível de mestrado na área de Ensino de Matemática, qualificando-os com menor investimento em deslocamentos para outras regiões do país, além de reduzir a evasão e favorecer a fixação desses em sua região de origem;
  2. amenizar a discrepância regional do Norte em relação às demais regiões do Brasil quanto aos indicadores de competência científica e tecnológica e de educação em Ciências e Matemática;
  3. cumprir o Plano Nacional de Pós-Graduação (2011-2020) sobre o estabelecimento da pós-graduação stricto sensu em regiões com baixa oferta, suprindo as demandas de formação de mestres nessas regiões, a exemplo do Norte do Brasil;
  4. atender ao Plano Nacional de Educação (2014-2024) quanto à elaboração de estratégias específicas para a inclusão de minorias no país, uma vez que inserido no contexto da Amazônia Legal Brasileira, o referido Mestrado teria entre suas temáticas de investigação e de formação docente as populações representativas da comunidade amazônica.